06/08/2021 às 12h39min - Atualizada em 06/08/2021 às 12h39min

Campeonato Francês está de volta com PSG turbinado por reforços

Time favorito ao título agora conta com Donnarumma, Hakimi, Sergio Ramos Wijnaldum. Lille promete ser pedra no sapato, Lyon tem vários brasileiros, e Olympique aposta em Gerson

- gazeta.redacao@yahoo.com.br
GE
Divulgação
Você já deve ter ouvido falar na frase "Brasileirão é obrigação". Exageros à parte, esse é o caso do Paris Saint-Germain no Campeonato Francês 2021/22, que começa neste fim de semana. O principal clube do país na atualidade conseguiu reforços de peso para a temporada, com a ambição de alcançar mais uma final da Liga dos Campeões, e também não pretende perder a hegemonia local novamente.
Vejamos a lista de compras do PSG: 
o goleiro Gianluigi Donnarumma, eleito o craque da Euro-2020; lateral-direito Achraf Hakimi, um dos melhores da posição atualmente; Sergio Ramos, zagueiro multicampeão pelo Real Madrid; e o meia Georgino Wijnaldum, ex-Liverpool. E ainda com chances de assinar com Lionel Messi.
Curiosamente, o clube de faturamento bilionário não teve que gastar "muito". Dos citados acima, só o caso de Hakimi exigiu o pagamento de multa — € 60 milhões à Internazionale de Milão. Os outros foram contratados sem custo pela transferência em si, apenas luvas. O PSG também precisou desembolsar € 16 milhões para manter o volante Danilo Pereira, que havia sido emprestado pelo Porto.
Ao mesmo tempo, o Paris Saint-Germain não perdeu seus destaques. Por exemplo, o atacante Kylian Mbappé, artilheiro da última edição da Ligue 1 com 26 gols em 30 jogos, e que voltou a treinar com o grupo. Marco Verratti, Angel Di María e Neymar são esperados nesta semana, 
depois de encerrarem as férias, mas serão desfalques no sábado.
O PSG vai em busca do 10º título do Campeonato Francês. Se conseguir isso, igualará o número de conquistas do Saint-Étienne, maior vencedor da competição. O Olympique de Marselha também tem nove troféus.
Mas o começo oficial na temporada lembrou o PSG de que pode haver uma pedra no caminho rumo ao título: o Lille, de novo. No último fim de semana, o time do técnico Mauricio Pocchettino foi 
derrotado por 1 a 0 na final da Supercopa da França.
Em 2020/21, o Lille terminou a competição com 83 pontos, um a mais do que o PSG. Assim, impediu o tetracampeonato do time da capital e 
foi campeão pela quarta vez, depois de 10 anos de espera. Seu primeiro jogo na atual temporada será contra o Metz, no domingo.
O clube do extremo norte da França vendeu duas peças importantes da equipe campeã: o goleiro Mike Maignan, para o Milan por € 13 milhões, e o volante Boubakary Soumaré, para o Leicester, por € 20 milhões. O Lille teve a melhor defesa da liga na temporada passada, com apenas três derrotas em 38 rodadas e 23 gols sofridos.
Terceiro colocado na última edição, o Monaco priorizou o setor ofensivo na janela internacional de transferências (que fica aberta na França até 20 de setembro). Contratou o centroavante Myron Boadu, que anotou 15 gols em 38 jogos pelo AZ Alkmaar em 2020/21, o ala-esquerdo Ismail Jakobs, e 
o meia Jean Lucas, ex-Flamengo, que estava no Lyon.
Por outro lado, o time agora dirigido por Peter Bosz fechou com o lateral-esquerdo Henrique, que pertencia ao Vasco. Ele se junta aos brasileiros Bruno Guimarães, Lucas Paquetá, Thiago Mendes e Marcelo.
Outro novo brésilien no Campeonato Francês é 
o meia Gerson, que deixou o Flamengo e se transferiu para o Olympique de Marselha, após o pagamento de € 25 milhões. Até o momento, 24 jogadores nascidos no Brasil fazem parte da Ligue 1.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
visitas

29902

views

80399

Qual melhor candidato?

0%
100.0%
0%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp