03/03/2022 às 11h35min - Atualizada em 03/03/2022 às 11h35min

Aluno do ensino médio sai da escola com defasagem de quase 6 anos

- gazeta.redacao@yahoo.com.br
UOL
Divulgação

Um estudante da rede estadual de São Paulo terminou o ensino médio em 2021 com uma defasagem de quase seis anos em matemática. Em língua portuguesa, este aluno saiu da escola pública com um desempenho adequado para adolescentes que estão no 8º ano do ensino fundamental — ou seja, quatro anos antes.

As análises foram feitas a partir dos resultados do Saresp (Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo) 2021, divulgados nesta quarta-feira (2) pela Secretaria de Estado da Educação. As perdas de aprendizagem, na avaliação das autoridades e de especialistas na área, são um reflexo da pandemia — que levou ao fechamento das escolas e atividades remotas, precárias em alguns contextos.

Para o secretário da Educação, Rossieli Soares, os resultados do Saresp 2021 eram esperados. "Queremos cruzar dados para entender, por exemplo, quem teve melhor desempenho assistiu mais aula? Entregou mais atividades? Vamos descobrir quais fatores deram mais certo ou não", afirma.

Assim como as demais etapas avaliadas, o ensino médio apresentou queda em comparação com a prova realizada em 2019.

Há dois anos, a proficiência era de 276,6. Em 2021, ficou em 264,2. A média de proficiência em matemática entre os alunos da 3ª série do ensino médio foi a pior da série história — os últimos 11 anos.

"São Paulo foi um dos estados que mais rapidamente começaram a oferta de atividade remota e foi um dos primeiros a retornar com as aulas presenciais, mas, ainda assim, podemos ver grandes perdas em todas as etapas", afirma a especialista em educação e também presidente do CNE (Conselo Nacional de Educação), Maria Helena Guimarães de Castro.

Os estudantes realizaram a avaliação nos dias 9 e 10 de dezembro do ano passado. A prova trouxe questões de língua portuguesa, matemática, ciências da natureza, uma redação e um questionário socioemocional (focado nas habilidades para lidar com emoções e desafios do dia a dia).

Nesta primeira divulgação, a secretaria estadual de Educação apresenta os dados de português e matemática. Os demais resultados estarão disponíveis, segundo Rossieli, até 30 de março.

Mais de 642 mil alunos do 5º e 9º anos do ensino fundamental e da 3ª série do ensino médio da rede estadual realizaram a prova.

Segundo a pasta, 96% dos estudantes do último ano não conseguem responder uma pergunta como esta: "considere um poliedro regular com 8 vértices, 6 faces, 12 arestas. Esse poliedro pode ser um(a)". Entre as opções estão: cubo, tetraedro, pirâmide de base quadrada, prisma de base triangular ou octaedro.

Os estudantes do 5º e 9º anos também apresentaram queda no desempenho de matemática. No 5º ano, a proficiência de 2021, 210,2, ficou semelhante ao resultado de 2013, que era de 209,6.

A gestão de João Doria (PSDB) cita como exemplo uma questão que envolve conta de subtração. "Uma construtora encomendou 10.000 parafusos a uma loja. Mas a loja possuía apenas 3.825 em estoque. A quantidade de parafusos que falta para completar a encomenda é ?".

Segundo a secretaria, 61,6% dos alunos do 5º ano, provavelmente, não conseguem resolver a questão. Entre os alunos do 9º ano, apenas 12,5% tem um desempenho adequado.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
visitas

29902

views

80399

Qual melhor candidato?

0%
100.0%
0%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp