02/02/2022 às 16h00min - Atualizada em 02/02/2022 às 16h00min

Brasil goleia o Paraguai com pintura de Coutinho e brilho dos garotos em BH

- gazeta.redacao@yahoo.com.br
GE
Divulgação

A seleção brasileira goleou o Paraguai por 4 a 0 na noite de ontem (1), no Mineirão. O jogo valeu pela 16ª rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo do Qatar e teve gols marcados por Raphinha, Philippe Coutinho, Antony e Rodrygo.

Escalado com uma formação ofensiva, que tinha apenas Fabinho como volante, Daniel Alves mais adiantado que o normal para um lateral-direito e cinco jogadores de meio e ataque, o Brasil dominou as ações do início ao fim e venceu com autoridade. A seleção chega a 39 pontos na liderança das Eliminatórias e mantém a perseguição à marca de melhor campanha da história: é preciso de quatro pontos nos dois jogos finais para isso.

As rodadas finais estão marcadas para os dias 24 e 29 de março. O Brasil enfrenta o Chile na Arena Fonte Nova e a Bolívia fora de casa.

Tite vê muito potencial em Coutinho. E o jogador correspondeu ao primeiro jogo com mais tempo para mostrar serviço na seleção desde o período de afastamento por causa de uma lesão no joelho. "Sacrificado" contra o Equador após a expulsão precoce de Emerson, o meia mostrou diante do Paraguai um repertório de lançamentos precisos —após um deles, Vini Jr. perdeu chance clar. Para coroar, um belo gol: uma batida característica, de fora da área. Os pais e os irmãos de Coutinho estavam no Mineirão e assistiram a tudo de perto.

Mas o detalhe da construção do gol de Coutinho é o gancho para falar de outro destaque da seleção: o zagueiro Marquinhos. Ele já tinha dado o lançamento que gerou o gol de Raphinha e fez o passe no meio-campo que resultou no tapa de Coutinho. Não foi uma atuação que exigiu da zaga brasileira na parte defensiva, mas Marquinhos foi decisivo pela qualidade com a bola no pé e visão de jogo. Sem contar com as inversões que ele e Thiago Silva distribuíram para os pontas da seleção. Talento puro.

O jogo começou muito agitado e a rede do Paraguai balançou no primeiro minuto de bola rolando. Daniel Alves cobrou lateral para Matheus Cunha, que sustentou a posse de bola no corpo até a chegada de Raphinha, que armou um lance individual dentro da área e chutou cruzado para marcar. Após checagem no VAR, a arbitragem anulou o lance por causa de um toque de mão do atacante.

Um aspecto treinado por Tite e que quase resultou em um gol no primeiro tempo diz respeito às faltas laterais —nesse caso específico, na meia ou ponta esquerda. Posicionam-se Coutinho e Alex Telles na bola. Coutinho ajeita a bola com carinho, simula que será o cobrador e, assim que soa o apito, sai rapidamente para a batida do canhoto que está ao seu lado. A ideia é pegar a defesa adversária desprevenida, sem saber se a bola virá aberta ou fechada. Os jogadores brasileiros, claro, já sabem quem é o cobrador do momento. A cabeçada de Thiago Silva obrigou o goleiro paraguaio a fazer uma grande defesa.

O começo do jogo ficou marcado por uma briga nas arquibancadas. Por volta dos dez minutos, torcedores se enfrentaram no setor próximo da meta defendida por Antony Silva. Houve troca de socos e cadeiras atiradas uns nos outros. Cerca de 20 envolvidos foram identificados e detidos pelas autoridades —os torcedores foram identificados pela Polícia Militar como integrantes das organizadas Galoucura e Máfia Azul. Também houve necessidade de atendimento médico para torcedores feridos.

O primeiro gol do Brasil saiu aos 27 minutos do primeiro tempo. Do campo de defesa, Marquinhos acertou lançamento preciso para Raphinha, que dominou já dentro da área do Paraguai e bateu de pé esquerdo no canto para abrir o placar — desta vez, valeu.

O segundo saiu aos 16 minutos da etapa complementar. Novamente preciso e inteligente, Marquinhos deu um passe rasante que atravessou a defesa do Paraguai e encontrou Philippe Coutinho com marcação frouxa. O meia dominou, ajeitou o corpo, escolheu o canto e soltou o pé sem defesa para o goleiro adversário.

As mexidas de Tite não baixaram a guarda da seleção. Quem entrou estava com apetite. O combalido Paraguai já estava nocauteado e viu Antony acertar um belo chute de canhota que deixou o goleiro quase inerte aos 40 minutos. O meia-atacante do Ajax, inclusive, estava naquele momento na faixa direita do campo, apesar de ter substituído Vini Jr. na ponta esquerda. Ainda deu tempo de mais um garoto chamado por Tite fazer seu gol pela seleção: a triangulação em velocidade na área resultou na finalização de Rodrygo para o fundo da rede, aos 43. Goleada com autoridade.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
visitas

29902

views

80399

Qual melhor candidato?

0%
100.0%
0%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp