14/01/2022 às 10h36min - Atualizada em 14/01/2022 às 10h36min

Três pessoas morrem em acidente na Castelo Branco em Sorocaba

As vítimas são uma mulher, de 32 anos, a filha dela, de 9, e o motorista do automóvel em que elas estavam, de 42 anos

- gazeta.redacao@yahoo.com.br
Cruzeiro do Sul
Divulgação

Três pessoas morreram em um acidente na rodovia Castelo Branco (SP-280), em Sorocaba. Houve uma colisão entre um automóvel e um caminhão, no quilômetro 90+800, no sentido interior. O fato ocorreu às 2h45 da madrugada de terça-feira (11), mas a ocorrência só foi divulgada nesta quinta (13). Morreram Maria Vilani Alves de Sousa, de 32 anos, a filha dela, Any Vitória Alves Rodrigues, de 9, e o motorista do carro, André Aparecido da Rocha, de 42. Um quarto ocupante do veículo está internado. Maria, segundo familiares, vinha a Tatuí em busca de emprego. 

Conforme a concessionária AB Colinas, responsável pela administração do trecho, a batida entre o veículo e o caminhão foi lateral. Maria, Any, André e outro homem não identificado estavam no automóvel. As quatro pessoas ficaram presas às ferragens e gravemente feridas. Duas vítimas foram levadas para a Pronto Atendimento Municipal (PAM) Mário Moraes Bourguignon, na Vila Martins, em Itu. A terceira foi encaminhada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do mesmo bairro.

A concessionária não soube informar exatamente quem foi socorrido para hospital, mas disse que os três morreram nas unidades de saúde. Já o quatro ocupante foi conduzido à Santa Casa de Porto Feliz, onde segue internado. Não há informações sobre o estado de saúde, nem sobre a identidade do homem. O condutor da carreta sofreu apenas ferimentos leves. 

O segurança João Batista de Sousa, de 37 anos, irmão de Vilani, fala que, na verdade, a colisão foi traseira. Conforme ele, o motorista do carro perdeu o controle da direção, bateu na traseira da carreta e rodopiou na pista. Com o impacto, o condutor do caminhão também perdeu o controle da direção e tombou em cima do veículo. O automóvel foi esmagado e ficou totalmente destruído. 

Mãe e filha moravam no município de Santa Terezinha, no sertão da Paraíba. Deixaram a cidade natal na manhã do último sábado (8), em um ônibus, com destino a Tatuí. Elas deveriam ter chegado à Rodoviária de Tietê, em São Paulo, na manhã de segunda-feira (10). Porém, devido aos problemas gerados pelas fortes chuvas em Minas Gerais, a viagem atrasou. Assim, o desembarque ocorreu já no início da madrugada de terça (11). Do terminal rodoviário, as duas contrataram André e um amigo dele para levá-las a Tatuí. 

De acordo com Batista, a irmã buscaria trabalho na cidade. "Ela tinha se formado como bombeira em dezembro. Tinha recebido certificado e tudo. Antes, ela trabalhava na Paraíba, fazia um bico, fazia uma faxina, mas sempre quis fazer o curso de bombeira. Aí, foi para Tatuí para ver se conseguia tocar a vida e exercer a profissão dela, que ela lutou tanto para chegar lá", conta. "Ela conseguiu (se formar), mas, um mês (depois), faleceu", emenda. 

Maria e Any foram veladas no Ginásio Municipal de Santa Terezinha.

Os corpos de Maria e Any foram levados de avião de São Paulo para João Pessoa, capital da Paraíba. Depois, transportados por um carro funerário até Santa Terezinha. Chegaram na noite de quarta-feira (12).  Elas foram veladas no mesmo dia, no Ginásio de Esportes do município, e sepultadas na manhã desta quinta (13), no Cemitério Municipal da cidade. 

Batista ainda afirma que a Polícia Civil vai investigar as circunstâncias do acidente. "O laudo da perícia vai sair daqui a 30 dias”, informa. Para os familiares, ficam a dor e a saudade. "Lá em casa, somos em nove irmãos. A perda dela (Maria) foi a primeira. É difícil, ainda mais de uma maneira dessa, em uma tragédia dessa", fala ele. 


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
visitas

32527

views

86686

Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp