04/08/2021 às 16h59min - Atualizada em 04/08/2021 às 16h59min

Diretor do governo Manga se envolve em confusão em drive-in após travesti ameaçar funcionário com arma

Segundo boletim de ocorrência, confusão começou após servidor ser avisado de que teria que pagar a mais, já que tinha ultrapassado o limite de horas no local. Vereador protocolou requerimento para que caso seja investigado pela Corregedoria.

- gazeta.redacao@yahoo.com.br
G1
Divulgação
O diretor de área de Sorocaba (SP) Rafael Pinheiro do Carmo se envolveu em uma confusão em um drive-in após uma travesti ameaçar um funcionário com uma arma.
Segundo informações do boletim de ocorrência, a confusão, registrada na tarde da última quinta-feira (29), teria começado quando o funcionário do estabelecimento foi até o quarto onde estavam Rafael e uma acompanhante para avisar que o horário previsto tinha acabado e que o valor a ser pago seria maior.
A travesti que estava com Rafael pegou a arma dele e ameaçou o funcionário do estabelecimento. O funcionário conseguiu desarmá-la e chamou a Polícia Militar. Todos foram levados para a delegacia.
A arma foi apreendida para ser periciada. Na delegacia, Rafael Pinheiro permaneceu em silêncio, de acordo com o registro. Na sequência, todos foram liberados.
Segundo dados do Portal da Transparência, Rafael Pinheiro é diretor de área na Secretaria de Administração, e trabalha no gabinete.
No entanto, ele atua diretamente com o prefeito Rodrigo Manga (Republicanos), acompanhando-o em compromissos e viagens oficiais. Nas redes sociais, é possível ver fotos dos dois juntos.
A reportagem entrou em contato com a prefeitura e pediu um posicionamento, já que o servidor estava em horário de trabalho.
Em nota, o poder público informou que Rafael Pinheiro "faltou na quinta (29) e na sexta-feira (30), sem justificativa, o que impõe o desconto desses dias não trabalhados".
Por telefone, o advogado de Rafael que não iria enviar um posicionamento sobre o caso, mas afirmou que "o funcionário não é amarrado ao emprego e pode faltar se quiser". Também disse que a arma era devidamente legalizada.

Sindicância

Nesta terça-feira (3), o vereador Péricles Régis (MDB) protocolou um pedido na Corregedoria da Prefeitura de Sorocaba para que o caso seja investigado.
No documento, o parlamentar diz que "tal conduta em horário de trabalho não condiz com o que se espera se um servidor público". Também afirma que o ato pode gerar "inequívoco prejuízo aos cofres públicos".
A reportagem também questionou o poder público sobre essa possível investigação, que informou que "imediatamente oficiou a Corregedoria, para o caso seja apurado".

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
visitas

29902

views

80399

Qual melhor candidato?

0%
100.0%
0%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp