05/05/2022 às 10h58min - Atualizada em 05/05/2022 às 10h58min

Seis clubes da Série A assinam criação da Libra, a liga do futebol brasileiro Nova reunião com os 40 clubes das Séries A e B vai definir detalhes na semana que vem, na sede da CBF. Petraglia critica: "Não consideramos que a liga está criada"

Nova reunião com os 40 clubes das Séries A e B vai definir detalhes na semana que vem, na sede da CBF. Petraglia critica: "Não consideramos que a liga está criada"

- gazeta.redacao@yahoo.com.br
GE
Divulgação

Em reunião na manhã desta terça-feira, em um hotel em São Paulo, seis clubes da Série A assinaram um documento que prevê a criação de uma liga para organizar o Campeonato Brasileiro.

Assinaram o documento com a Codajas Sports Kapital: Bragantino, Corinthians, Flamengo, Palmeiras, Santos e São Paulo. O Cruzeiro e a Ponte Preta, que estão na Série B, também assinaram.

Uma nova reunião, com a participação dos 40 clubes que estão nas Séries A e B do Campeonato Brasileiro foi marcada para a semana que vem, na sede da CBF, no Rio de Janeiro.

– Os 40 clubes são a favor da criação da liga. Agora é só acertar as arestas e dia 12, com certeza, será uma grande festa na CBF – declarou o presidente do Santos, Andrés Rueda.

A reunião desta terça foi convocada por um bloco composto por Flamengo, Bragantino, Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo, com a carta-convite assinada por esses clubes, que estão mais alinhados a uma proposta de criação da liga formada pela empresa Codajas e pelo banco BTG.

Estiveram na reunião representantes de 18 clubes da Série A - as exceções foram Cuiabá e Juventude. Das equipes atualmente na Série B, marcaram presença dirigentes de Cruzeiro, Guarani, Ponte Preta, Sport e Vasco.

O tom otimista não foi compartilhado por todos ao fim da reunião. O presidente do Athletico-PR, Mário Celso Petraglia, fez críticas ao bloco dos cinco paulistas mais o Flamengo.

- Para os nossos 14 clubes, não consideramos (que a liga está criada). Fomos surpreendidos com a pauta de reunião. A intenção seria uma conversa entre os clubes para ajustar. Aí vieram com os estatutos prontos e que os seis assinariam, e quem quisesse assinar também que ficasse à vontade. Eu nem estudei o estatuto.

Havia a expectativa de que um documento formal seria assinado pela maioria dos clubes da Série A nesta terça-feira. Mas ainda há divergências entre dois grupos. O primeiro tem os clubes paulistas mais o Flamengo. O segundo é "Forte Futebol", movimento criado por dez clubes da Série A que se identificam como "emergentes" e contam com o Atlético-MG como embaixador.

A divergência diz respeito à divisão dos recursos quando os contratos de TV forem assinados. A proposta da Codajas era de divisão com 40% dos valores fixos, 30% variável por performance esportiva e 30% por audiência. O grupo do Forte Futebol prefere que a divisão seja 50-25-25. Essas diferenças devem ser acertadas nas próximas reuniões.

As conversas para a criação da liga acontecem há meses. No dia 15 de junho do ano passado, como consequência da crise na CBF gerada pelo afastamento de Rogério Caboclo, clubes foram até a confederação e anunciaram a intenção de formar uma liga.

A movimentação no mercado tem sido intensa desde então. O advogado Flavio Zveiter, que representa a Codajas Sports Kapital (CSK), anunciou a parceria com o BTG Pactual em janeiro e está desde o começo das tratativas mais alinhado com o bloco de Flamengo e clubes paulistas.

Outros grupos, como o consórcio formado por Live Mode e 1190, e o banco de investimentos da XP, que teria parceria da La Liga para estrutura e tecnologia e busca investidores, fizeram propostas para gestão da possível nova liga.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
visitas

29902

views

80399

Qual melhor candidato?

0%
100.0%
0%
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp