13/01/2022 às 10h10min - Atualizada em 13/01/2022 às 10h10min

Brasil recebe 1º lote de vacinas da Pfizer para crianças de 5 a 11 anos

- gazeta.redacao@yahoo.com.br
UOL
Divulgação

O primeiro lote de vacinas infantis da Pfizer chegou hoje ao Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), às 4h45. Foram entregues 1,2 milhão de doses, que serão distribuídas aos estados e ao Distrito Federal até amanhã, segundo o Ministério da Saúde.

Segundo a pasta, o Brasil receberá em janeiro 4,3 milhões de doses de vacina para crianças entre 5 e 11 anos. Em fevereiro, a previsão é de mais 7,2 milhões e, em março, 8,4 milhões.

Até o fim do primeiro trimestre, o Brasil deve receber quase 20 milhões de doses pediátricas da Pfizer. Para completar a vacinação infantil, de duas doses, o país precisará de pouco mais de 40 milhões de doses.

A pasta diz ter encomendado quantidade suficiente para imunizar o público-alvo. Crianças mais velhas serão vacinadas primeiro, com prioridade para aquelas que tenham comorbidades ou deficiências permanentes.

Apesar de ter sido liberada pela Anvisa em 16 de dezembro, a entrada da vacina infantil da Pfizer na campanha coordenada pelo governo federal, porém, só foi confirmada em 5 de janeiro —na contramão ciência, o presidente Jair Bolsonaro (PL) é contra a vacinação infantil.

O Ministério da Saúde também anunciou que o intervalo entre doses será de oito semanas —a bula da vacina pediátrica da Pfizer recomenda apenas três semanas. Especialistas dizem que o intervalo mais longo é "arriscado".

A distribuição será feita na seguinte proporção:

Região Centro-Oeste (8,17%)

Distrito Federal - 1,30%

Goiás - 3,55%

Mato Grosso do Sul - 1,47%

Mato Grosso - 1,85%

Região Sudeste (39,18%)

Espírito Santo - 1,93%

Minas Gerais - 9,02%

Rio de Janeiro - 7,49%

São Paulo - 20,73%

Região Sul (13,17%)

Paraná - 5,25%

Rio Grande do Sul - 4,73%

Santa Catarina - 3,19%

Região Nordeste (28,43%)

Alagoas - 1,77%

Bahia - 7,07%

Ceará - 4,42%

Maranhão - 4,02%

Paraíba - 1,89%

Pernambuco - 4,80%

Piauí - 1,62%

Rio Grande do Norte - 1,67%

Sergipe - 1,17%

Região Norte (11,05%)

Acre - 0,57%

Amazonas - 2,77%

Amapá - 0,55%

Pará - 4,99%

Rondônia - 0,93%

Roraima - 0,38%

Tocantins - 0,86%

Brasil vai 'liderar' vacinação de crianças; Bolsonaro é contra

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou na manhã de segunda-feira (11) que o Brasil vai liderar a vacinação infantil contra covid-19 no mundo assim que os imunizantes da Pfizer chegassem ao país.

O discurso está na contramão do que foi dito em dezembro por Queiroga, que desencorajou a vacinação do grupo, dizendo que o patamar de mortes na faixa etária dos 5 aos 11 anos não implicava em decisões emergenciais. Para o ministro, não havia "pressa" para vacinar crianças contra a covid-19.

Inicialmente, o Ministério da Saúde propôs a exigência de prescrição médica para crianças receberem a imunização, mas recuou. Depois, realizou uma consulta pública para que a sociedade opinasse sobre a vacinação infantil —mesmo com o aval da Anvisa.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) é crítico frequente da vacinação infantil. Ele já ameaçou divulgar o nome de técnicos da Anvisa responsáveis por aprovar o uso do imunizante infantil e também disse que a atitude da Anvisa é "inacreditável".

Na semana passada, em entrevista a uma emissora de TV, Bolsonaro voltou a criticar a agência. Segundo a SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações), o tom do presidente é alarmista e sem fundamentação científica.


Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
visitas

32527

views

86686